Chiba Dôjô

Chiba Dôjô

O Chiba-Dōjō do Hokushin Ittō-ryū Hyōhō está agora a observar os seus 165 anos de história. Foi fundado em Edo (Tōkyō hoje em dia) na era Kaei por volta do ano de 1848. Foi fundado pelo samurai e espadachim mestre Chiba Sadakichi Taira no Masamichi, o irmão mais novo do Kaiso (founder) do Hokushin Ittō-ryū Hyōhō, Chiba Shūsaku.

Chiba Sadakichi Taira no Masamichi

Chiba Sadakichi Taira no Masamichi

Chiba Sadakichi abriu as portas do Chiba-Dōjō a todos aqueles que desejavam estudar o Hokushin Ittō-ryū independentemente do seu estatuto social. Sendo assim, os discípulos não eram apenas samurais de menor ou maior estatuto, mas também mercadores e camponeses, até mulheres e crianças eram aceites como alunos. Considerando a altura e as normas sociais, esta era uma novidade absoluta e bastante progressiva. Através desta política de porta aberta, o Chiba-Dōjō gozou de grande popularidade, o que levou a um grande crescimento no número de alunos. Rapidamente as instalações do Chiba-Dōjō tornaram-se demasiado pequenas e o Chiba Sadakichi decidiu comprar a Tōjōichidō-Juku (uma velha escola privada) que ficava ao lado e que tinha sido recentemente fechada. Dessa forma ele estendeu o Chiba-Dōjō extensivamente. Devido aos inúmeros espadachins capazes que saíam do Chiba-Dōjō, este rapidamente se tornou um dos mais famosos dôjôs de todo Japão. Por causa disto, muitas pessoas dos diversos extractos sociais viajaram através do país até Edo para poderem aprender o Hokushin Ittō-Ryū no Chiba-Dōjō. Em 1853 o famoso samurai e revolucionário Sakamoto Ryōma originário de Tosa foi enviado pelo seu clã para o Chiba-Dōjō em Edo para estudar o Hokushin Ittō-ryū sob Chiba Sadakichi e o seu filho e sucessor, o segundo Sōke, Chiba Jūtarō. Dois anos depois em 1855 o grande terramoto de Ansei-Edo destruiu vastas áreas de Edo. O próprio Chiba-Dōjō incinerou-se num fogo causado pelo terramoto. Independentemente disso, Chiba Sadakichi foi capaz de reconstruir o Chiba-Dōjō em Okemachi em Edo apenas um ano mais tarde em 1856 e o ensino assim continuou.

Na era Meiji o chamado de Chiba-Gekikenkai, que era realizado no Chiba-Dōjō pelo 3º Sōke Chiba Tōichirō, gozou de imensa popularidade. Neste gekikenkai, shiais (duelos) públicos eram lutados com armas de madeira ou bambu. Na verdade existem inclusive algumas “impressões em blocos de madeira” feitos pelo famoso artista Tsukioka Yoshitoshi (1839–1892) que representam o Chiba-Gekikenkai. A impressão abaixo mostra o terceiro Sōke Chiba Tōichirō sentado numa cadeira no canto inferior direito a observar um duelo entre naginata e espada. A pessoa que está a manejar a espada é Chiba Sana, a filha de Chiba Sadakichi. Ela tinha a alcunha de “Chiba no Onikomachi” (a beleza demónio da família Chiba). Este nome era baseado nas suas capacidades extraordinárias com a espada e com a naginata e com o facto de ela ter derrotado todos os desafiadores que visitaram o Chiba-Dōjō em duelos, apesar de ela ser uma mulher bastante graciosa.

Woodblock print of the Chiba-Gekikenkai at the Chiba-Dōjō of the Meiji-period

Impressão em bloco de madeira do Chiba-Gekikenkai no Chiba-Dōjō da era Meiji.

O Chiba-Dōjō foi movido para Yotsuya em Tōkyō pelo 4º Sōke Chiba Tsukane durante o período Meiji. Foi posteriormente fechado no período Taishō por não se conseguir sustentar com o número de alunos existentes. Com a modernização do Japão, o interesse nas artes marciais clássicas decresceu. Com a popularização do kendō moderno, também, muita gente perdeu interesse nas formas antigas de combate e muitos continuaram a treinar apenas a forma moderna desportiva de esgrima, abandonando as antigas tradições. O número de alunos de vários koryū desceram dramaticamente durante esses anos e muitos dos professores não conseguiam mais gerir os seus dōjō a tempo inteiro ou sequer conseguirem pagar sequer os custos de manutenção. A família Chiba começou uma clínica de acunputura para sobreviverem, mas por duas gerações eles não ensinaram a escola publicamente. Chiba Tsurutarō, o filho do 4º Sōke Chiba Tsukane, e o seu filho Chiba Akira aprenderam a escola mas não transmitiram os seus ensinamentos. Os ensinamentos e técnicas do Hokushin Ittō-ryū foram transmitidas por várias linhas de Shihan até aos dias de hoje. O 5º Sōke, Chiba Hiroshi Masatane, decidiu no início do século XXI que a escola deveria ser unificada sob um Sōke activo uma vez mais e daí nomeou a 1 de Julho de 2013 o possuidor de Menkyo-Kaiden, Ōtsuka Yōichirō Masanori, e líder do Shinmeikai-Dōjō em Tōkyō como 6º Sōke do Hokushin Ittō-ryū Hyōhō. Juntos eles reabriram o Chiba-Dōjō uma vez mais.

O Chiba-Dōjō presentemente

Ōtsuka Yōichirō-Sōke liderou o Hokushin Ittō-ryū Hyōhō por mais de 3 anos como 6º Sōke. Durante esta altura a escola cresceu imenso e espalhou-se pelo mundo inteiro. Dōkōkai (grupos de treino) em diferentes países e continentes foram criados sobre a sua supervisão. Em 2014 o seu filho adoptivo Ōtsuka Ryūnosuke Masatomo conseguiu arrendar as suas próprias instalações em Munique, Alemanha para o Chiba-Dōjō.

Sinal ao lado da entrada do Honbu-Dōjō do Ryūha que diz: “Hokushin Ittō-Ryū Hyōhō Chiba-Dōjō”

A 26 de Março de 2016, Ōtsuka Yōichirō-Sōke passou o Hokushin Ittō-ryū Hyōhō para o seu sucessor e Menkyo-Kaiden, Ōtsuka Ryūnosuke como sendo o 7º Sōke. Sendo assim, o Chiba-Dōjō em Munich passou a ser o Honbu (Dōjō líder) da escola a nível mundial. Obviamente, o Chiba-Dōjō em Tōkyō está ainda activo sob a direcção do 6º Sōke, mas o Honbu-Dōjō da escola está agora localizado em Munich sob a direcção do 7º Sōke, Ōtsuka Ryūnosuke.

Entrega do Hokushin Ittō-ryū Hyōhō através do 6º Sōke Ōtsuka Yōichirō para o 7th Sōke Ōtsuka Ryūnosuke na Nakano Sunplaza Hotel em Tōkyō a 26 de Março de 2016.